quinta-feira, 16 de agosto de 2007

Jesus Chorou (Eduardo Zechini)

"Jesus Chorou."
(João 11:35)

O Verbo definitivamente se fez carne e habitou entre nós.

Será que o homem Jesus tinha alguma coisa que chamasse a atenção para si?

Era Ele um homem mais bonito do que os demais? Tinha Ele graça e beleza aos olhos do mundo?
Será que ele foi um empresário de sucesso, que chamou Pedro e Tiago para abrir uma empresa de pesca, atirar a rede para a direita todos os dias, faturar muito dinheiro e levar uma vida confortável?

Seria Jesus (o filho amado em quem o Espírito de Deus se compraz), um homem livre das aflições deste mundo?

Vamos ver se, aos olhos humanos, Jesus teria sido um homem de sucesso.

Ele nasceu em condições precárias. Pertenceu à classe dos judeus rudes e pobres.
De acordo com o profeta Isaías, sua aparência seria como a “raiz de uma terra seca”, não tendo beleza aos olhos humanos.
Chegou à meia idade solteiro, rejeitado por sua própria família, e logo em seguida, rejeitado por sua própria igreja.
Ele orou, e sua oração não foi atendida. “Pai, afasta de mim este cálice!”
Foi traído com um beijo e acusado injustamente.
Foi preso, injuriado e humilhado. Seus amigos o abandonaram.

Ele curou a tantos, e creia em mim, alguns deles estavam na multidão pedindo para que o crucificassem. “Caifás tem razão, ele busca a sua própria glória, quer fazer-se a si mesmo um deus.”
Ele foi levantado na cruz. “Você não é o filho de Deus? Liberte-se a si mesmo!”

Finalmente Ele morreu.
O mundo acabou de dizer quem foi Jesus.
Satanás terminou a sua obra. Os anjos se calaram.
O corpo sem vida assinava o decreto de derrota enquanto a placa anunciava “Jesus Cristo Rei dos Judeus”.

Mas alguém ainda não havia se pronunciado.

Alguém apenas contemplava!

O Alfa e Omega, o grande El Shadday, criador dos céus e da terra, cingido em sua glória e poder, levantou-se do trono e o Universo estremeceu.

Era meio dia, e o céu fez-se negro como a noite. O chão tremeu, pedras rolaram do monte, e a multidão que festejava a vitória, calou-se.
Olhos atônitos procuraram ao redor, com espanto, com surpresa, com temor, o corpo de Jesus.

“Ai, ai, ai...verdadeiramente, este era o Filho de Deus!”

Nenhum olho humano viu o espírito de Jesus receber poder, honra e glória.

Nenhum homem ouviu o grito de ódio de satanás enquanto Jesus lhe tomava as chaves do inferno e da morte.

Caifás, Pilatos, os soldados romanos, nenhum deles presenciou Jesus se assentando à direita do trono de Deus.

Apenas um homem viu tudo isto: Um pobre ladrão, humilde, que adorou a Jesus enquanto todos O condenavam, que prostrou-se diante dele, enquanto todos O crucificavam.

Este esteve, naquele mesmo dia, com Jesus no paraíso, recebendo com Ele a coroa da vida, ainda que o mundo o julgasse indigno!

“Pelo contrário, Deus escolheu as coisas loucas do mundo para confundir os sábios; e Deus escolheu as coisas fracas do mundo para confundir as fortes” (I Corínthios 1:27)

Jesus derramou lágrimas. Sentiu medo. Sua oração não foi respondida. Guardou silêncio, recebeu o cuspe, engoliu o escárnio, recebeu os cravos, gritou: “Pai, por quê me abandonaste?” Viu sua mãe chorando. Bebeu vinagre, entregou seu espírito, foi sepultado.

Quantas vezes Ele chorou ?
Quantas batalhas suportou ?

Coloque o seu ouvido no peito de Jesus, ouça seu coração batendo acelerado, ouça sua respiração ofegante, veja o medo em seus olhos. Veja suas lágrimas!

Verdadeiramente, o Verbo fez-se carne! Verdadeiramente, Ele habitou entre nós, como nós, por nós!

(Eduardo Zechini)

3 comentários:

caio disse...

ainda bem q Jesus fez isso td por nos, pq se n fizesse....iamos ser tipo o pessoal do antigo testamento, dando vacilo p cima e p baixo.

gostei do seu blog cara, adorei a form como usa as cores no texto...na hr q muda a cor, muda a entonação! mto bacana!

Deus te abençoe!!!

Pablo Ramada disse...

Chorar, tai uma caracteristica que me falta como homem. Estou só? Acho que não, conheço tantos machões que fica até dificil de se sensibilizar junto deles.

Mas Cristo chorou, e ficou triste algumas vezes. Isso mostra que nem toda trsiteza é ruim, mas aquela que vem de um coração sensível e arrependido é uma tristeza que faz crescer.

Espero que o meu coração se sensibilize cada dia mais e que eu aprenda a ter compaixão como Cristo tinha.

Boa postagem,

abraços.

Éverton Vidal disse...

Fala Júlio! Vc sabe se o Zechini tá com um novo blog?